Pensamentos
Sentimentos, Versos e Ensaios
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Textos
On the wings of the angels / Nas asas de anjos

On the wings of the angels I rest my weary body
I try to lift my spirit
But waves of darkness oppress me
And downward I spiral to the ground,
But powerful arms catch me at the last moment.
I feel light entering my skin
Warmth spreads from my head to my toes and
Enormous Strength runs through my veins
And I know I have what it takes
To continue this cruel journey
On this bleak planet that denied the gift of life,
Not the planet itself,
But the humans who inhabit it
And destroy all they find,
Who take pleasure on oppressing
The other forms who they deem weaker or inferior.
And this darkness does not discriminate and attacks even its own species
Feeding the darkness below.
From the darkness a sliver of light appears
And a multitude of angel come to the rescue
Of those who seek righteousness
Not all get rescued as the number of oppressed is too high to count.
The light is there nonetheless
Raising and rescuing
Lifting and soothing
The starved souls who clamor for justice
For justice will come
Sooner or later
On the wings of the angels.

*******Em português *********

Nas asas dos anjos
Nas asas dos anjos eu descanso meu corpo cansado
Eu tento elevar meu espírito
Mas ondas de escuridão me oprimem
E para baixo eu caio en direção ao chão
Mas braços poderosos me agarram no último momento
Sinto luz entrando na minha pele
O calor se espalha da minha cabeça aos dedos dos pés
Uma Força imensa corre pelas minhas veias
E eu sei que tenho o que é preciso
Para continuar esta jornada cruel
Neste planeta sombrio que negou o presente da vida
Não é o planeta em si
Mas os humanos que habitam
E destruem tudo o que encontram
Que gostam de oprimir
As outras formas que eles consideram mais fracas ou inferiores.
E essa escuridão não discrimina e ataca até sua própria espécie
Alimentando a escuridão abaixo.
Das trevas, uma lasca de luz aparece
E uma multidão de anjos vem em socorro
Daqueles que buscam a justiça.
Nem todos são resgatados, pois o número de oprimidos é alto demais para contar.
A luz está lá, no entanto,
Elevando e resgatando
Subindo e acalentando
As almas famintas que clamam por justiça,
Pois a justiça virá
Cedo ou tarde
Nas asas dos anjos.
Helena Guerreira
Enviado por Helena Guerreira em 20/01/2020
Alterado em 20/01/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários